Índice de Artigos

Número Quarenta

Este é o número do teste. A primeira vez em que ele aparece é em Gn-5:13, idade de um homem. Ele aparece sem os 800 a ele atados em Gn- 7:4, quando o dilúvio inundou a terra durante quarenta dias e quarenta noites (Gn-7:17). Esaú tinha quarenta anos quando tomou uma esposa errada. Isaque tinha quarenta anos quando recebeu Rebeca por esposa. Os filhos de Israel são testados por quarenta anos no deserto, até que todos os rebeldes tivessem morrido. Moisés passou quarenta dias e quarenta noites jejuando no Monte Sinai, onde recebeu as Tábuas da Lei. Elias jejuou durante quarenta dias e quarenta noites (1ªRs19: 8). Jesus Cristo jejuou quarenta dias e quarenta noites, antes de iniciar o seu ministério terreno. O homem curado em At-4:22, tinha mais de quarenta anos de idade, limite para alguém receber cura, naquele tempo. Daí surgiu o ditado popular: “A vida começa aos quarenta”.

As referências aos filhos de Israel no deserto, onde ficaram por quarenta anos são muitas. Vejam algumas delas em Hb-3:9;17; Núm-14:33,34; Dt-2:7;8:2. De Moisés jejuando por quarenta dias e quarenta noites temos Dt-10:10. A terra de Israel é obrigada a descansar no período de quarenta anos,em Jz-3:11 e 8:28. O sacerdote Eli governou o povo por quarenta anos, conforme Jz-8:28 e em Sm- 14:18.

Saul reinou por quarenta anos (At-13:21) e pelo mesmo espaço de tempo reinaram Davi e Salomão (1ªRs-2:11e11:42). Geralmente esse período de quarenta anos tem sido uma espécie de teste usado por Deus a fim de determinar algo importante no porvir.

Este número deve ter uma profunda significação na vinda do Senhor Jesus Cristo, na qual professo crer e aguardar. Como os judeus tornaram para Jerusalém dos árabes em 07/06/1967, se juntarmos a essa data quarenta anos teremos 07/06/2007 – ou seja quarenta anos do último teste dado por Deus à sua Igreja para que obedeça o seu “Ide e Pregai”. Será? Bem, ninguém pode marcar datas...

Número Setenta

Este é o número dos gentios (dez) multiplicado por sete. Existem os setenta anciãos de Israel. Existe a fábula da Septuaginta – LXX – que seria a tradução do Velho Testamento do Hebraico para o Grego, feita por 72 anciãos de Israel. Isso jamais poderia ter acontecido, pelas razões expostas no artigo publicado na Folha Universal, do capítulo 9 do Livro “The Answer Book”, do Dr.Samuel L.Gipp,o qual está à disposição dos leitores.

A Septuaginta foi inventada por Orígenes em sua Hexapla. Orígenes foi o primeiro crítico dos textos recebidos dos apóstolos – os textos antioquianos ou Majoritários – que ele esmiuçou e deturpou em muitas de suas obras, criando, assim, os textos alexandrinos, que seriam a base da Vulgata Latina de Jerônimo e de todas as Bíblias modernas alicerçadas no Texto Grego do N. T. de Westcott e Hort. Além de Orígenes, temos outros apóstatas e hereges não salvos que fizeram traduções do V.T. Estes são Simaco, Áquila e Teodósio. Nenhum deles aceitava a teologia paulina da salvação pela graça através da fé no sacrifício vicário do Senhor Jesus Cristo na cruz do Calvário.

A fabulosa Septuaginta é a 5ª coluna da Hexapla escrita por um “teólogo” que tinha a coragem de declarar que o filósofo pagão e imoral – Platão – era inspirado por Deus. A filosofia de Platão foi inserida nas obras escritas de Orígenes, as quais produziram todas as aberrações das Bíblias futuras que se norteariam pelos textos alexandrinos. Orígenes considerava inspiradas as “Epístolas de Barnabé” e “O Pastor de Herma”, dois livros apócrifos. Os códigos “Vaticanus” e “Sinaíticus”, que figuram entre os mais antigos,descobertos no século XIX, por Tischendorff, no lixo do mosteiro de Santa Catarina, no Monte Sinai, são a base do Texto Grego do Novo Testamento de Westcott e Hort.

No tempo em que Constantino deu anistia ao Cristianismo. Fundando a Igreja Católica,com a fusão do Cristianismo apóstata, do Judaísmo e do paganismo, o Bispo Eusébio, comparando o monarca romano pagão ao Senhor Jesus Cristo, anunciou à nova Igreja que “Cristo e Constantino reinariam juntos pela eternidade”.

Nesse ponto ele quase acertou na maléfica profecia. Todos os papas que vieram depois de Constantino, têm sido os legítimos herdeiros dos césares romanos, governando em nome de Jesus Cristo, do qual se dizem vigários na terra.

Contudo, eles esquecem que o reino do Senhor Jesus Cristo não é deste mundo, pelo menos enquanto a igreja unida estiver existindo. O seu reino será estabelecido quando Ele vier em sua gloriosa Segunda Vinda, para iniciar o seu Reinado Milenar.

Todos os “eruditos” que aprovam e usam os textos alexandrinos de Orígenes são incrédulos. Não crêem na Divindade, Nascimento Virginal, Morte Vicária, Ressurreição, Ascensão de Cristo e no Espírito Santo como a terceira Pessoa da Trindade.

Eles são cegos (cujos olhos estão nublados pela catarata vaticanesca) pretendendo guiar os cristãos neste mundo corrompido e apóstata. São filhos da “Nova Era” e, portanto, precursores do Anticristo e para esses eu dou nota zero – assim como dou nota dez para o Deão Burgon, Edward Hills(ThD), David Ottis Fuller(DD) J.J.Ray, Samuel Gipp(ThD). William P.Grady(ThD) e o mais corajosos de todos, no final do século 20 e início deste 21–Peter S.Ruckman(ThD,DD,etc.). Fora esses teólogos, internacionalmente conhecidos, temos um em Johanesburgo, Júlio Carrancho, que tem enfrentado os inimigos da Palavra de Deus com a maior bravura e, por isso, tem sofrido bastante.

São estes os Livros dos verdadeiros cristãos bíblicos sobre o legítimo Texto Grego do Novo Testamento:

1 – The Traditional Text – Deão Burgon

2 – Believing Bible study – O. Edward Hills, ThD

3 – Which Bible? – David Ottis Fuller

4 – God Only Wrote One Book – J.J. Ray

5 – Na Understandable History the Bible; The Answer Book – Samuel C. Gipp, PhD.

6 – Final Authority – William P. Grady, PhD

7 – The Christian´s Handbook of Manuscript Evidence – Dr. Peter Ruckman e dezenas de outros estudos que merecem respeito.

Recomendamos aos que podem ler em Inglês que adquiram os livros do Dr.Samuel Gipp, escritor americano e discípulo do Dr.Ruckman, que é, também,um defensor incansável da Versão Autorizada de 1611 da Bíblia King James. Temos já traduzidos dois livros dele:“The Answer Book”(O Livro das Respostas)e “Living With Pain” (Convivendo com a Dor), em forma de apostilas.

Número Mil

É fácil localizar o número mil. Ele aparece seis vezes no Livro de Apocalipse, dando a entender que existe um período de 6.000 anos, antes que o sétimo dia de descanso (1.000 anos = 1 dia) – o Sábado Milenar – aconteça,c om o regresso do Senhor Jesus Cristo à terra.

Alguns comentaristas costumam dividir as eras de mais ou menos mil anos, conforme os acontecimentos bíblicos e mundiais.

1º Período – De Adão até 3.000 a.C.

2º Período – Do dilúvio até a chamada de Abraão mais ou menos 2000 anos a.C.

3º Período – Dos patriarcas até o Egito/Moisés, posse da Terra Prometida, Juizes, até Davi – 1.000 a.C.

4º Período – Reis, período interbíblico, cativeiro babilônico, até 70 d.C.

5º Período – Igreja, apostasia da Igreja, a metade da Era das trevas, mais ou menos 1.000 anos d.C.

6º Período – Renascença, Reforma até a era da Internet – mais ou menos 1.000 anos, incluindo a União Européia.

7º Período – Reinado Milenar de Cristo.

O sétimo milênio, este em que agora vivemos, bem pode ser o da Segunda Vinda de Cristo. O palco já está pronto. O mundo está cheio de pecados que clamam aos céus. Sodoma e Gomorra eram lugares quase paradisíacos, quando comparados ao mundo atual, que apresenta:

1 – Desprezo pela Palavra de Deus, descrença e apostasia generalizadas, dentro da própria Igreja do Senhor Jesus Cristo.

2 – Domínio político, econômico e religioso do Cristianismo apóstata – a religião mundial, que é o Catolicismo Romano.

3. Predominância das religiões espíritas. O Hinduísmo, com os seus 330 milhões de deuses, está conduzindo o mundo inteiro à Nova Era.

4 – Fomes, pestes, guerras, violência e imoralidade, em todo o planeta.

5 – Enchentes, terremotos, mistérios no espaço com os OVNIs, etc.

6 – Ciência super avançada, Projeto Genoma, o homem se tornando como Adonicão, isto é, um rebelde contra Deus, tentando anular a Palavra de Deus.

7 – Tecnologia avançada no campo das comunicações, permitindo o controle de todos os habitantes do planeta, através dos computadores, pelo 666.

8 – Depressão econômica nos países ricos (prevista para breve), com os governos em perplexidade, buscando uma solução urgente, mesmo que seja através do próprio diabo – ou seja, do homem da iniqüidade – o 666.

 

Mary Schultze - Berlim e Linbach Oberfrohna, fevereiroi/março, 2001

(Dr.Peter Ruckman-Mary Schultze)

O controle Total - Wim Malgo  1984 p.41

 

Receba mensagens WhatsApp

  1. O número DEVERÁ estar cadastrado no WhatsApp e ADICIONAR EU SEU APARELHO.
  2. Nome Completo(*)
    Entrada Inválida
  3. DDD + Telefone(*)
    Entrada Inválida
  4. Email(*)
    Entrada Inválida

Artigos

eBook - Livros!

   

Doe Agora

Deus se importa

Se você precisa de uma palavra abençoadora para o seu coração, então clique AQUI.

Visitantes Online

Temos 799 visitantes e Nenhum membro online

Recursos

MonteSinai